quinta-feira, 2 de outubro de 2008

NO TRESPASSING


Gente... alguém alguma vez já sentiu vontade de colocar uma placa dizendo: "Não ultrapasse este limite"?
Ontem eu tive!!!
Fico pela manhã com o Kiyozinho, dou toda atenção a ele e acho isso maravilhoso. A gente brinca, passeia, ouve música, tudo bem tranquilo. De tarde, a Ana vem para brincar com ele e eu me entoco na toca para tentar finalizar algumas coisas de trabalho... De tarde, o Kiyo passeia, dorme, come, pula, assiste DVDs, canta, mama, corre atrás dos cachorros, etc... ele tem a vida bem cheia de atividades legais para a idade dele.
Ontem, em particular, chovia canivete aberto em Curitiba. Então, o Kiyo não pode dar sua volta vespertina. Ficou em casa, e eu aqui trabalhando. Tudo tranquilo! De repente, no final da tarde, vieram me chamar aqui porque o rapaz que veio fazer a vistoria no carro tinha chegado. Quando fui atendê-lo percebi algo diferente no Kiyo. TINHAM CORTADO SEU CABELINHO! Tá, não ficou horrível. Até que fizeram direitinho, mas...
Eu queria estar junto quando ele tivesse seu PRIMEIRO corte de cabelo. Não gostei de verdade da forma como foi feita. A vovó Ju pegou a tesoura lá em cima e mandou ver. Tesorou meu pequeno, E NEM PRA ME AVISAR! Eu queria tirar foto, queria ver a carinha dele... me senti violada!!!
Daí sei lá, 3 horas depois do ocorrido vem me perguntar se eu fiquei brava! O que eu vou dizer? Sim, quero que cole os fios de cabelos 1 por 1? Dei uma risadinha amarelada, e disse apenas que queria ter visto.
No fundo do meu coração, eu me senti traída, me senti violada, me senti deixada de fora de um marco na vida do MEU filho!
Podem pensar que sou ciumenta. Podem pensar que sou possessiva. Acho que sou mesmo! Mas o que custava avisar: "Dani, sobe aqui que vamos cortar o cabelinho do Kiyo!"?
Pronto... desabafei!
Beijos,