domingo, 15 de agosto de 2010

O "dotor" falou...

Nos tempos de nossas avos, a pessoa mais bem conceituada na familia era o "dotor". O medico da familia normalmente tinha a ultima palavra no que estava relacionado a saude das criancas. Nao sei porque isso acontecia, mas as maes parece que tinham medo de confrontar alguem que estudou tanto e questionar sua "sabedoria". Muitas maes faziam tudo o que o "dotor" receitava sem ao menos verificar se era plausivel. Com isso, muitos medicos passaram a ser os "garotos-propaganda" da industria farmaceutica. Tudo que os medicos falavam era lei, e tudo que eles receitavam era dado sem questionar a razao naquilo. Dessa forma, muitas viroses ateh hoje sao tratadas com antibioticos.

Hoje em dia, o senso critico ainda eh algo raro no que diz respeito a cuidados com filhos (principalmente se forem pais de primeira viagem). Parece que as pessoas tem medo de tomar as redeas da situacao e ir "contra" as indicacoes do medico. Preferem seguir a risca tudo o que o "dotor" mandar, mesmo que isso seja totalmente desnecessario ou ateh prejudicial ao bebe. As maes nao seguem seus instintos, engolem os maiores sapos da face da Terra, sao muitas vezes descreditadas pelos maridos... tudo em nome "da santa palavra do doutor". O "dotor" eh voz de autoridade para tudo desde cuidados medicos ateh problemas de comportamento. "O dotor mandou tirar do peito" ou "o dotor mandou dar frutinha antes dos 6 meses", "o dotor disse que se dormir junto comigo, vai crescer muito dependente e vai atrapalhar o seu desenvolvimento"... Eu ouvi esses comentarios de varias pessoas: maes de primeira viagem, maes de segunda ou terceira viagem e ateh mesmo de pessoas sem filhos. Todo mundo tem um palpite para dar, mas falar que a "sugestao" foi dada pelo "dotor" faz com que essa deixe de ser apenas um palpite e passe a carregar um outro valor. Ateh para justificar alguns habitos nao saudaveis, como dar doces e outros estimulantes para bebes pequenos (com menos de 1 ano), vale usar "o dotor falou que..."
Desde que o Kiyo nasceu, eu sempre o levei a um pediatra no qual eu tenho confianca. No entanto, ainda assim eu questiono, indago, troco ideias. E no final das contas, o que vale eh a nossa (minha e do meu marido) conclusao do que eh melhor, mais apropriado e mais saudavel pro Kiyo. Quando o Kiyo fez 11 meses, perto da epoca da Pascoa, o pediatra "liberou" os chocolates. No entanto, eu disse que nao dariamos doces ao Kiyo por enquanto. Eu nao perguntei a opiniao do pediatra quanto a cama compartilhada e nem quanto a amamentacao super-prolongada. E em momento algum ele me indicou que estou "atrapalhando" o desenvolvimento do meu filho ao praticar ambas as coisas.
Certamente que a minha experiencia com o pediatra que escolhi para atender meu filho eh uma bem sucedida entre as milhares de experiencias frustradas que eu encontro na lista de maes da qual participo ou ateh mesmo de experiencias de familiares (bem recente). Eh um tal de pediatra falando que o leite eh fraco e por isso "precisa" receitar complemento de NAN pro bebe. Ou de pediatra receitando o tal do NAN pra bebe recem-nascido, pois o bebe "nao consegue sugar" e soh dorme (que aconteceu com a minha cunhada ao ter alta da maternidade ha uma semana atras). Ou ateh pediatra falando que eh pra dar a chupeta para que o bebe pare de chupar os dedinhos... um absurdo maior que o outro. E o pior eh que muitas vezes (nao em nenhum desses casos, gracas a Deus) a mae e o pai acatam o absurdo como sendo lei e nem ao menos questionam. Nos casos que eu mencionei acima, as maes estavam certas do que deveriam fazer. A minha cunhada por exemplo, apesar de ter comprado a tal da lata de NAN, nao deu. Insistiu no peito e agora a Manuzinha tah lah saudavel e mamando que eh uma belezinha.
Nao quero dizer que temos que desconsiderar tudo que os pediatras falam, mas nao podemos aceitar tudo feito umas ovelhinhas. Nossa obrigacao como pais eh de questionar sempre, pesquisar tudo que nos eh dito e tirar as nossas proprias conclusoes com base nos nossos instintos e em nossas descobertas.
Beijos a todos que acompanham...
Dani

Um comentário:

Bete Strøm disse...

Pois Dani,

Concordo piamente contigo,outro dia levei o Bruno no pediatra ai citei que ele estava gorfando muito, mas eu acreditava que deveria ser devido ele não arrotar com frequência, a pediatra disse que ele tinha refluxo. Eu questionei se era possível diagnosticar um refluxo assim sem exame clinico, ela disse que os sintomas praticamente indicava refluxo pra eu dar Montiliu pra ele, pedi a substância da medicação, ela não quis me dizer, alegando que eu tinha que comprar o de referência, como sou farmacista questionei o motiva da recusa, ai ela liberou o genérico. Outra coisa, meu bebe fica quase 8 ndias sem defecar, ela disse que é normal pois é deivido ao refluxo...bla..bla... não disse nada, mas não concordei, ou seja não dei o remédio para refluxo, e passei a dar lactulose para a prisão de ventre, utilizando a minha intuição e experiência com farmacia.Hoje meu bebezinho está bem...Tem médicos hoje que estão mais preocupados em ganhar dinheiro de consultas, quanto mais produtivas melhor, não se preocupam muito com a saúde!!! Beijos e bom final de domingo!