quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Blogar ou nao blogar...

Lendo uma materia publicada na Folha de Sao Paulo recentemente sobre maes blogueiras e o perigo dessa "exposicao" dos filhos, fiquei pensando nas razoes que me fizeram iniciar esse blog.
Eu sempre amei fazer diario, cadernos de confidencias, etc... Quando o Kiyo nasceu, eu queria sim colocar em palavras os momentos mais lindos que temos junto dele.
Queria deixar registrado alguns momentos legais, algumas gracinhas, algumas brincadeiras para que no futuro ele pudesse reviver esses momentos. Algumas pessoas criticam essa pratica, pois estou "expondo o Kiyo" ao mundo. Concordo que a internet, os facebooks e orkuts da vida tem o potencial de expor minha vida de uma forma absurda e assustadora. No entanto, esses mesmos grupos sociais podem servir outras funcoes mais nobres que aquelas apresentadas pela materia.
Exemplo 1: Minha sobrinha tinha que fazer uma cirurgia no coracaozinho dela. Ela tinha apenas 1 aninho. Precisavamos de doadores de sangue para garantir que ela teria sangue se fosse preciso. Eu coloquei o assunto pelo orkut e obtive a maior resposta do mundo. Inumeras pessoas responderam, gente que eu nem conhecia direito foi ateh o banco de sangue e doou, gente que nao viamos a tempo tambem foi, gente que morava longe respondeu em oracao... isso nao pode ser ruim! Isso eh positivo! Isso eh muito bom.
Minhas razoes para ter esse espaco sao minhas. Nao preciso compartilhar isso com ninguem, nao preciso compartilhar minha vida com ninguem. No entanto, eu gosto de compartilhar nao apenas para mostrar as gracinhas do Kiyo para a familia que estah ha milhares de kilometros de distancia, em um outro pais, longe de ve-lo crescer lindo, saudavel e totalmente seguro de si, mas para colocar minhas experiencias e ouvir um pouco das experiencias de quem le.
Eu acho que as preocupacoes expostas pela reportagem, alem de serem mal fundamentadas sao totalmente fora de tamanho. Existem pessoas ruins e inescrupulosas no mundo? Existem pessoas que vao deturpar totalmente o que se eh dito, existem pessoas que vao usar uma unica frase para fazer doutrina e tirar totalmente o que foi dito fora de contexto.
Eu coloco alguns fatos da minha vida aqui, coloco algumas fotos, algumas gracinhas, algumas experiencias... nao estou imune as pessoas sem escrupulos, mas estou certa de que muito de muito melhor resulta das minhas postagens. Tenho certeza de que os avos, tios, primos e amigos no Brasil amam saber das travessuras do Kiyo, e continuarei postando, continuarei blogando...
Afinal nao eh de hoje que eu nao sigo o que os "profissionais experts em o que quer que seja" falam...
Beijos a todos que leem o meu blog,
Dani

3 comentários:

Bete Strøm disse...

Pois é minha querida amiga, estou contigo e não largo...O meu bog não é um diário, pois se eu relatasse tudo que ocorre no meu dia a dia, precisaria de um livro, uso meu espaço para falar de várias experiências inclusive do meu filho...
Graças a Deus, temos opiniões próprias e não precisamos seguir as riscas as teorias de profissionais, se viver de teoria fosse bom...
Enfim, sou blogueira, amo escrever, amo ler, isso me acalma.
E quando eu estiver tão longe quanto você porém bem distante de você(Harstad Noruega), colocarei as minhas dificuldades e vitórias que irei enfrentar e seu vc já deve ter enfrentado tb..Bjs

Edson Negromonte disse...

Blogar sim, Dani, sem medo de ser feliz.

Jo M. E. Guerra de Carvalho disse...

Acho que coisas ruins acontecem, você se preservando ou não; mas para as coisas boas do mundo vierem até você, é preciso se abrir para elas.
O blog é uma forma de deixar registrado nosso amor, nossa humanidade, mas também uma forma de se conectar com pessoas com ideais parecidos. A maldade e o sofrimento estão em toda parte. Não existe como ter uma "vida segura".
Acho mais seguro ter um blog que vestir meninas com roupas sensuais de minimulher, afinal, isso é um chamativo à pedofilia, não?
Existem formas realmente graves de expor nossas crias à maldade dos outros que passam bem longe de um blog. E o "olha com quem andas" vale também para o mundo virtual, que nada mais é que um mundo constituído por pessoas.