sexta-feira, 8 de abril de 2011

Reflexoes...

Gente,
Tanta coisa me faz pensar na forma como criamos o Kiyo, mas nada se compara quando pensamos nas escolhas que fizemos e nas razoes para essas escolhas.
Hoje estamos morando aqui nos EUA, como muitos sabem. Amo o Brasil, que eh meu pais do coracao. Minha familia toda estah lah, e meu coracao fica pequeno soh de pensar que estamos perdendo tanta coisa boa por estarmos longe.
No entanto, a violencia crua, desmedida e gratuita que se vivencia no Brasil em qualquer lugar e em qualquer camada social foi um motivo grande para decidirmos pela mudanca. Primeiro, pois agora precisamos dar conta da vida e seguranca do Kiyo. Entao, jah que temos a opcao de lugar para ir, nao vimos outra saida.
Isso eh logico que nao garante nada. No entanto, soh o fato de sabermos que o Kiyo pode sim ir ao parquinho brincar sem que eu me preocupe se vamos ser sequestrados, assassinados ou algo do tipo, nos deixa mais tranquilos.
"A violencia estah em toda parte" - jah ouvimos muitas vezes essa frase, que jah soa como jargao. Sim, ela estah. No entanto, em alguns lugares a impunidade acompanha a violencia e a torna ainda mais cruel e nos torna ainda mais vitimas encurraladas.
O que aconteceu na escola no Rio de Janeiro jah aconteceu aqui nos EUA sim, algumas vezes. Existem pessoas desequilibradas no mundo inteiro. Isso nao eh coisa soh de americano ou de brasileiro. O que precisa-se pensar eh na forma como a situacao eh controlada, uma vez que ocorra. Ha nao tanto tempo atras, teve um louco que saiu atirando numa multidao de pessoas no Arizona, onde uma congressista estava fazendo um discurso.
Eu fico simplesmente preocupada e triste com noticias como essa, seja ela no Brasil ou aqui.
A gente aqui ainda ouve a noticia como sendo "algo que acontece com os outros." E eh isso que precisamos parar de fazer. Precisamos comecar a ver a coisa como ataque pessoal mesmo. A violencia eh pra todos e afeta a todos. Nao podemos ficar alheios a tudo isso, pensando em como essas pessoas desconhecidas estao sofrendo. Precisamos tomar essa dor e agir para que nao sejamos vitimas das fatalidades.
Quando saimos do Brasil, estavamos sentindo o cerco apertar. A violencia jah nao era coisa que acontecia nos morros no Rio ou na periferia das grandes cidades. Era coisa que acontecia ha duas quadras da nossa casa, com pessoas que tinhamos relacionamento bem proximo. Meus pais sendo sequestrados em uma cidade relativamente pequena, amigos sendo ameacados a ponta de arma, conhecidos e parentes sofrendo com o trafico de drogas que invade os lares.
Enfim... esse post eh para refletir mesmo. Pensar nas escolhas que fazemos e nas formas como vamos viver a nossa vida: como vitimas ou como pessoas que tomam as redeas das circunstancias.
Beijos reflexivos e muito tristes...
Dani

Nenhum comentário: