sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

A idade da imaginacao e o aparecimento dos medos: como lidar com isso???


Kiyo sempre foi um menino corajoso. Ele nao tinha medo de escuro, nao tinha medo de barulhos de chuva ou trovao, nunca ficou apavorado com o "homem do saco" ou a "cuca", o "saci"... Isso, muito provavelmente, porque nunca o assustamos com esses personagens. Ele sempre demonstrou muita seguranca ao chegar na casa dos outros. Quando ele foi pela primeira vez na escola, ele nos deu tchau, pegou a mao da professora e foi para dentro, sem nem olhar para tras. Ateh hoje ele sobe em arvores sem qualquer pavor. Pega insetos no chao. Anda de bicicleta melhor que a mamae...


No entanto, de uns tempos para cah ele tem demonstrado um certo receio de ir ao banheiro sozinho e mesmo durante o dia, ele pede para que o acompanhemos ateh lah. Ele fala de monstros e homens maus. E seus "medos" calharam com o desenvolvimento (exponencial) de sua imaginacao. Ele estah na fase de inventar historias para a hora de dormir. Ele conta historias interminaveis de monstros e herois e meninos. Ele conta suas historias misturando a sua realidade (os coleguinhas e a professora) com a sua imaginacao (o Superman, o Spiderman, os Kratt Brothers...). Com tanta imaginacao, ele tem se impressionado muito com filminhos que antes pareciam inoquos. De repente Nemo virou coisa assustadora por conta da primeira cena em que a barracuda "come a mae dele". E com tanta imaginacao tambem, ele estah associando essas coisas conosco. Tem medo de se perder da gente, da gente morrer, e de algo muito horrivel acontecer. O Jeff assistiu com ele um programa da Nature, onde a onca-mae foi capturada e "tirada" de seus filhotes. Resultado: alguns dias de Kiyo grudado em mim, com um medo irracional de me perder de vista. Depois disso, pegamos um filme que (a principio) me parecia tranquilo. "Mars needs Mom" (Marte precisa de Maes) da Disney. Nem tinha me passado pela cabeca que no filme a mae do menino eh abduzida por alienigenas. E aih, bora lah tudo de novo. Tah, eu sei... o erro foi nosso. Deveriamos prestar mais atencao ao que ele assiste. Mesmo assistindo a coisa com ele, e afirmando que aquilo eh soh um filme e que isso nao vai acontecer comigo, nao adianta. A cena jah estah gravada no seu sub-consciente. Resultado: cena de choro e medo de separacao na escola por uma semana inteira, coisa que ele nunca (NUNCA MESMO) fez. Eu sai da escola com o coracao partido (bem feito pra mim, quem mandou pegar o filme) e o Kiyo em 5 minutos jah brincava tranquilamente.

Meu dilema: como lidar com isso? Agora que aprendemos a licao, nao vamos deixa-lo assistir a nada novo sem antes assistir e analisar o conteudo. Mas ateh onde isso eh somente relacionado ao que ele assiste? Como amenizar esse stress de separacao que ele demonstra. Nao quero reforcar o comportamento, mas nao quero diminuir o sentimento dele. Nao quero, nem por um segundo, que ele pense que o que ele sente eh insignificante ou besteira. E assim, nao sei o que fazer.

Enfim... dilemas, dilemas! O que vamos fazer? Nao sei. Por enquanto, o que estou fazendo eh recitar o famoso "mantra materno": "Vai passar!

Beijos a todas,
Dani


Nenhum comentário: