quarta-feira, 3 de outubro de 2012

"Nao atingiu os padroes de leitura" e outras pressoes do sistema escolar

Apesar de ser filha de bibliotecaria (ok, minha mae eh formada em biblioteconomia) e de ter tido acesso a varios classicos da literatura infantil, enquanto crianca eu via a leitura como algo laborioso ou um "mal necessario". Nao que eu nao lesse. Quando o livro me interessava de verdade, eu lia de cabo a rabo em pouco tempo e relia varias vezes. O que realmente me fez perder o gosto pela leitura foi a "maldita leitura obrigatoria na escola".
Quem nao lembra de ter uma lista de livros para ler e depois ter uma prova para "provar que voce realmente leu a porcaria do livro"? Aquilo para mim era o oh! Eu odiava nao o LER, mas o TER QUE ler. 
Quando eu me interessava pelo livro, tipo Polyanna, a Ilha Perdida e o Cachorrinho Samba (colecao quase inteira), eu devorava as paginas. Quando eu era obrigada a ler, ficava enrolando e nao saia do primeiro capitulo. Assim foi ateh depois do vestibular. Os 10 livros obrigatorios para o meu primeiro vestibular nao foram nem tocados, embora tivessem sido devidamente providenciados. Apenas depois que eu casei foi que passei a "pegar gosto pela leitura".
Agora com o Kiyo, temos uma pequena biblioteca para ele. E cada vez que posso, compro mais um livrinho. Vamos a biblioteca, e escolhemos juntos os livros que serao lidos antes da hora de dormir.
E entao nosso mundo "tao legal", onde ele eh estimulado e nao forcado, entra em choque com um sistema educacional ingessado e (diga-se de passagem) bem contra-produtivo.
Nao me entendam mal, a escola eh bem equipada, com uma infra-estrutura bem boa. As turmas sao pequenas, as salas coloridas, as mesas e cadeiras de acordo com o tamanho da criancada. A professora eh bem querida, carinhosas e dedicada. Entao voces devem pensar: mas tah reclamando de que?
Eu critico (nao reclamo apenas) o sistema. Esse sistema que resolve padronizar todos os alunos baseados em resultados de testes estaduais ou nacionais. O sistema que faz com que professores se tornem escravas de funcoes irrelevantes que nao acrescentam nada ao ensino. Ao inves dos professores usarem o tempo deles em sala de aula para ensinar, estao perdendo tempo preenchendo formularios do tamanho de listas telefonicas com avaliacoes que no final das contas nao diz nada.
Na nossa primeira reuniao com a professora do Kiyo, fomos apresentados a tamanha burrocracia que reina no sistema educacional. A professora, muito bem intencionada e dedicada, nos mostrou que o Kiyo (que tem 5 anos recem completos) deverah estar lendo no nivel E ao termino do ano letivo. Nivel oque? Como se definem niveis de leitura no jardim de infancia? E quando recebemos o primeiro "progress report" do Kiyo, estava indicado que ele nao atingiu os padroes de leitura. Hein?
Bem, como jah foi decidido aqui em casa, nosso "metodo" eh o estimulo. Ele serah estimulado ler, assim como ele eh estimulado a escrever, desenhar, pintar, correr, andar de bike, nadar, cantar, dancar e tudo mais. Nao usamos a forca.
Mas que esse sistema quadrado me revolta, ah se revolta!
Ainda nao podemos iniciar o Homeschooling, mas iremos assim que for possivel!
Kiyo o contador de historias (vejam esse video)



Nenhum comentário: