quarta-feira, 10 de abril de 2013

Kiyo e a hora do sono...





Kiyo tem uma rotina bem certa sobre o que fazer na hora do sono. Nosso ritual comeca com o banho lah pelas 5:30 - 6 da tarde. Ele entao coloca seu pijama - selecionado por ele proprio. Lah pelas 6:30 (ou antes um pouco, dependendo da rapidez da mamae) ele janta. Ateh as 7 ele pode ainda comer um snack que se resume a fruta, crackers, ou leite. Normalmente, ele prefere as frutas.

Depois disso, ele assiste um episodio de algum programa que ele curta. Esses sao oferecidos pelo Netflix e sao selecionados por nos de acordo com o conteudo. Ele normalmente assiste Shaun the Sheep, Diego, Arthur, Animal Planet with Jeff Corwin, Wild Air Alaska... nada que seja muito estimulante ou muito longo.

Depois disso, eh hora de escovar os dentes. Eu normalmente faco a vistoria final da escovacao, passo o fio-dental novamente. Daih ele dah o seu "running hug" em quem estiver em casa. Vamos pro quarto, ele faz xixi, e deita na cama (agora sobre na sua cama beliche) para lermos a nossa historia do dia.

Depois que lemos a historia, ele vai ao banheiro novamente (pois ele bebe muito liquido e faz muito xixi). Daih apagamos a luz e ficamos juntinhos de mao dadas. Esse eh o nosso momento de conversar um pouco, fazer planos para o dia seguinte e agradecer pelas bencaos do dia que se encerra.

Entao... esses dias eu estava contando sobre essa rotina do sono para umas meninas de um grupo sobre Maternidade Consciente e Educacao Positiva, quando alguem contou que parte da rotina de sono na casa dela era cantar uma musiquinha para a crianca. Na hora eu lembrei de um caso que aconteceu aqui em casa quando o Kiyo ainda tinha uns 3 anos.

Fizemos todo o ritual e estavamos quietos no escuro quando eu resolvi experimentar cantar para ele se acalmar mais. Comecei a cantar aquela musiquinha "Alecrim, Alecrim dourado nasce lah no campo sem ser semeado". Nem bem cheguei na metade do primeiro verso e o Kiyo sentou na cama, olhou para mim e disse:

"Mamae, eu estou tentando dormir. Dah pra voce parar de cantar, por favor?"

E aih fazer o que. Pedi desculpas por ter atrapalhado o sono dele, e ele virou pro lado e APAGOU!

E eu fiquei sem saber se ria pela cena, se ficava triste por nao poder cantar pro meu pequeno ou se aceitava que cada crianca eh diferente e nao tem forma padrao que funcione para todos. Eu escolhi, ao longo do tempo, usar a ultima opcao.

P.S: Ontem eu li um poema pra ele. Ele gostou muito... mas disse que era longo!